Escolha seu idioma

Abordagem especial sobre a incubação de poedeiras

A Petersime pesquisa e desenvolve constantemente novos programas de incubação. Para cada tipo de máquina, estão disponíveis diferentes programas para frangos de corte, poedeiras, perus, patos e gansos. Estes programas de incubação padrão têm um excelente desempenho. No entanto, são necessárias pequenas modificações para otimizar a eclodibilidade, a qualidade e a uniformidade dos pintos para diferentes conjuntos de ovos. Este artigo explica a forma como a qualidade dos pintos de poedeiras pode ser melhorada, ajustando o perfil de temperatura da casca do ovo.

Roger Banwell, Gerente de Desenvolvimento de Incubatório, Petersime nv

Regras Avícolas

No mundo da incubação, existem certos fatores que permanecem constantes e que podem ser considerados como regras avícolas. Por exemplo, os requisitos de perda de peso permanecem iguais tanto para um ovo de beija-flor como para um ovo de avestruz. Se for seguida esta lógica, todos os tipos de frangos de corte e de poedeiras necessitariam das mesmas condições de incubação e seriam apenas necessárias variações de acordo com a idade do lote, o tempo e as condições de armazenamento, etc.

No entanto, como muitos gerentes de incubatório dirão, na realidade estas regras avícolas evidentemente se aplicam, mas cada tipo de linhagem de ave tem sensibilidades diferentes. Um bom exemplo desta diferença de sensibilidade é a vulnerabilidade das poedeiras ao resfriamento excessivo ou insuficiente antes e durante a fase de retração do saco vitelino e do sistema vascular do ciclo de incubação (entre a bicagem interna e a bicagem externa). 

Galinha poedeira marrom

Umbigo não cicatrizado nas poedeiras

Como consequência desta vulnerabilidade, um problema comum é a qualidade dos pintos de poedeiras, mais especificamente problemas de umbigo não cicatrizado. 

Umbigo não cicatrizado de um pinto de um dia

A tecnologia Embryo-Response Incubation da Petersime permite uma aquisição de dados muito precisa e, em última análise, um nível muito elevado de otimização do desempenho. Com a tecnologia OvoScan™, a temperatura da casca dos ovos pode ser controlada com precisão. A pesquisa realizada pelo Departamento de Desenvolvimento de Incubatórios da Petersime resultou em um perfil de incubação otimizado para poedeiras, proporcionando assim uma melhor qualidade dos pintos.

Otimização dos perfis de incubação

Existe um grau de otimização para a temperatura alvo da casca do ovo para lotes muito novos ou velhos. Isso ocorre porque a relação entre a superfície da casca e o volume de lotes muito novos ou velhos pode diferir significativamente. Ainda assim, uma temperatura da casca do ovo de 100,0 ⁰F (37,8 ⁰C) durante um ciclo de incubação de frangos de corte produz bons resultados.

No entanto, a mesma abordagem não pode ser aplicada a poedeiras. Um aumento gradual da temperatura alvo da casca do ovo garante as condições ideais para o momento correto e o início da retração vascular e do saco vitelino. Este perfil de temperatura resulta em melhor qualidade dos pintos, visto que o número de pintos com umbigo não cicatrizado diminuirá. Temperaturas corretas de transferência e dos nascedouros também são essenciais¹.

 

Perfil de incubação da temperatura alvo da casca do ovo para poedeiras

O gráfico acima deve ser considerado uma generalização, porque mesmo dentro das mesmas linhagens, os diferentes tipos de lote, marrons, brancos, etc., têm sensibilidades significativamente diferentes.

Conclusão

A aplicação de uma temperatura alvo da casca do ovo correta e otimizada para poedeiras resulta em uma melhor qualidade dos pintos. Este artigo mostra como a tecnologia Embryo-Response Incubation e os conhecimentos da Petersime permitem alcançar de forma consistente os mais elevados níveis de desempenho. 

 

¹Escolhendo a temperatura correta do ar no nascedouro após a transferência