Escolha seu idioma

Aplicação comercial de tratamento térmico durante o armazenamento

No mês passado, explicamos porque curtos períodos de tratamento térmico, no caso de períodos de armazenamento prolongados são benéficos para o desenvolvimento embrionário precoce, focando na base biológica. Neste artigo, vamos colocar esse conhecimento em prática: como pode esse tratamento ser introduzido com êxito em um incubatório moderno?

Por Roger Banwell, Gerente de Desenvolvimento de Incubatório

O desafio: intensidade e freqüência do tratamento

As pesquisas indicaram que para alcançar resultados consistentes, o tratamento térmico durante o armazenamento precisa ser aplicado sob condições muito específicas.

Por exemplo, se a freqüência do tratamento não for exata, os ganhos serão limitados, ou pior, alguns embriões irão se desenvolver além do “ponto sem retorno”, conforme ilustrado na Figura 1. Isso significa que os embriões avançaram além da formação da linha primitiva e que o desenvolvimento embrionário não pode ser mais interrompido. Colocar esses ovos de volta na sala de armazenamento de ovos afeta negativamente sua viabilidade.

Figura 1: Efeito da freqüência do tratamento térmico na contagem de células embrionárias

Igualmente críticas são as durações das transições e temperatura absoluta. A Figura 2 mostra que um tratamento excessivo (por exemplo, quando os ovos forem aquecidos muito rápidos ou para uma temperatura muito alta por muito tempo) também levará os embriões para além do ponto sem retorno. 

Figura 2: Efeito dos parâmetros do tratamento térmico na contagem de células embrionárias

Encontrando os parâmetros corretos

A Aviagen tem feito grandes progressos na identificação da temperatura ideal, tempos e faixa de temperatura operacional para o tratamento térmico durante o armazenamento.

É crucial atingir a temperatura correta da casca do ovo. Os ovos precisam ser aquecidos a uma temperatura de casca de mais de 32°C; embora que manter a temperatura acima dos 32°C por muito tempo afete negativamente a eclosão (Aviagen, 2014). Outro fator importante no processo são as fases de aquecimento e de resfriamento.

Por isso, a Petersime desenvolveu uma incubadora dedicada ao tratamento térmico durante o armazenamento: a BioStreamer™ Re-Store. Como está equipada com a tecnologia patenteada OvoScan™, a temperatura da casca do ovo é monitorada e controlada com precisão durante todo o processo de tratamento térmico. Além disso, a máquina garante etapas exatas, controladas e uniformes de aquecimento e de resfriamento porque isso é vital para a consistência dos resultados.

Testes em larga escala

A Petersime usou esta incubadora Re-Store dedicada, com capacidade para 57.600 ovos, para realizar vários testes em larga escala. Numa primeira etapa, os testes foram realizados com lotes de ovos de matrizes com bons resultados em termos de controle de temperatura da casca do ovo, uniformidade da temperatura em toda a incubadora, consistência das etapas de aquecimento e de resfriamento e restauração da eclosão. O ambiente interno em todo o ciclo de tratamento foi controlado com base nas temperaturas da casca do ovo.

O ciclo de tratamento térmico em uma BioStreamer™ Re-Store

Numa segunda etapa, os testes foram realizados em uma operação de frango de corte comercial. Durante esses testes, a eclosão, a qualidade dos pintos e dados de desempenho pós-nascimento foram coletados e analisados. Testes recentes baseados em 12 a 15 dias de armazenamento resultaram em uma restauração quase completa das perdas em termos de eclosão e pesos finais pós-nascimento. Isso confirma um enorme potencial da metodologia do tratamento térmico.

Conclusão geral

O tratamento térmico durante o armazenamento possui grande potencial na restauração da eclosão e até mesmo melhorar o desempenho pós-nascimento. No entanto, é crucial controlar precisamente os principais parâmetros de incubação, visto que a aplicação inadequada da técnica resultará em resultados abaixo do ideal ou até mesmo levar a perdas significativas. A BioStreamer™ Re-Store da Petersime garante a medição precisa e o controle da temperatura da casca do ovo na incubadora, bem como as etapas controladas e uniformes de aquecimento e de resfriamento dos ovos – dois elementos essenciais para atingir ganhos consistentes.

Referencias:

Aviagen, How to improve the hatchability of stored eggs. (2014)