Escolha seu idioma

Avaliação da qualidade dos pintinhos e otimização de incubação (5)

Parte 5: Análise do bico e das pernas Saiba como melhorar a qualidade dos pintinhos analisando o bico e as pernas.

Por Frank Verschuere, Departamento de Desenvolvimento de Incubatório, Petersime

Otimizar a qualidade de seus pintinhos é fundamental para dar-lhes o melhor impulso possível para atingir todo seu potencial genético. Independente de estarmos discutindo integrações completas ou fornecimento de pintos de um dia ao mercado, os objetivos são iguais. Integrações se beneficiam diretamente de um melhor desempenho pós-eclosão, enquanto as incubadoras independentes desejam entregar os melhores pintinhos para seus clientes.

Devido aos elevados volumes com que lidamos em incubatórios comerciais, temos que investigar o aspecto geral dos pintinhos. No entanto, se for observada uma quantidade significativa de pintos com problemas no bico ou nas pernas, uma análise mais aprofundada deve ser realizada. A equipe do Departamento de Desenvolvimento de Incubatórios da Petersime está disponível para compartilhar conhecimentos. Ficarão satisfeitos em ajudar com análises e aconselhamentos.

Por que o bico é importante?

O bico é vital para o bem-estar físico, já que é utilizado para respirar, beber e pegar comida. Ele precisa ser saudável e estar totalmente formado. Se o pintinho na granja estiver comendo, brincando ou movendo seu bico de modo a fazer ruídos, isto é um bom sinal. Se o bico estiver danificado ou causar desconforto, a ave irá reduzir esta atividade. As narinas devem estar limpas e abertas para que o pintinho possa respirar normalmente.

Problemas visuais comuns do bico

Manchas vermelhas ou escuras nas narinas indicam que a temperatura no nascedouro é muito alta ou que houve muito esforço do pintinho para sair da casca devido à perda de peso insuficiente.

Bicos cruzados são normalmente hereditários ou causados por uma infecção viral. Pintinhos com bicos cruzados devem ser removidos, já que eles não conseguirão viver confortavelmente na granja.

Pintinho com manchas vermelhas nas narinas

Pintinho com narinas boas e limpas 

Por que as pernas são importantes?

Pintinhos com pernas boas podem mover-se livremente, procurar comida, beber e se comportar de maneira natural. Além disto, ter boas pernas permitirá que os pintos desenvolvam seus músculos da melhor forma. Porém, pernas e jarretes vermelhas, lesões, desidratação ou pernas abertas podem impedir que os pintos se comportem naturalmente. Para evitar estes fatores, seguem alguns conselhos sobre a avaliação da qualidade das pernas e orientação para investigação de áreas específicas.

Problemas visuais das pernas

Jarretes vermelhas

Se as jarretes dos pintinhos estão vermelhas, pode ser uma indicação de que a temperatura durante o processo de incubação está muito alta, que a perda de peso é insuficiente ou que os pintos não são manuseados adequadamente.

Primeiramente, vamos analisar a temperatura. Ter um ambiente de incubação uniforme é sempre melhor. Contudo, diferentes linhagens e diferentes idades do lote exigem diferentes programas de temperatura. Portanto, deve-se tentar limitar as variações, evitando um grande mix de idade do lote, tempo de armazenamento e fertilidade. Para maximizar a uniformidade dos pintinhos e limitar as chances de jarretes vermelhas, aconselhamos o tratamento térmico durante armazenamento prolongado com BioStreamer™ Re-Store. Certifique-se que o programa de temperatura está de acordo com a fase de desenvolvimento embrionário. O OvoScan™ da Petersime monitora isto automaticamente para garantir condições ótimas em cada etapa. Além disto, um padrão de transferência e carga equilibrado evita a distribuição desigual de temperatura em sua incubadora (clique aqui para saber mais sobre como carregar a incubadora de forma equilibrada: https://www.petersime.com/pt-BR/departamento-de-desenvolvimento-do-incubatorio/carregamento-balanceado-da-incubadora/). Problemas técnicos (por exemplo, incubadoras que não estejam hermeticamente fechadas) também resultam em maiores variações de temperatura. A manutenção regular do seu equipamento e seu uso correto ajuda a tirar o máximo proveito. Para garantir uniformidade de temperatura, evite o uso de sprays.

Em segundo lugar, jarretes vermelhas podem ser causadas por baixa perda de peso. Se o embrião não perder peso suficiente durante a fase de desenvolvimento, no momento da eclosão, ele será grande demais para emergir da casca do ovo e as jarretes friccionarão o interior da casca. Neste caso, baixe suavemente os níveis de CO2 para aumentar a ventilação e reduzir a umidade.

Por fim, jarretes vermelhas podem ser causadas pela automação ou manuseio ruim dos pintinhos durante a retirada. Investigue a automação para ver se os pintos podem se machucar em algum lugar do processo. Em caso de retirada manual, o treinamento da equipe é fundamental para que possam lidar com as aves sem danificá-las. 

Pintinho com jarretes vermelhas

Pernas feridas

Se você notar lesões nas pernas dos pintinhos, investigue o equipamento de automação (altura de queda, velocidade da esteira, design do equipamento, etc) para verificar se algo pode machucar as aves. Novamente, no caso de retirada manual, o treinamento da equipe para processar as aves corretamente, a fim de não as prejudicar, evitará lesões. Os dedos dos pés também devem ser investigados em relação a danos e, em casos especiais, a amputação é aplicada.

Exemplo de dedo do pé de pintinho ferido

Pernas desidratadas

A desidratação das pernas é outro meio para avaliar a qualidade do pintinho. Pode ser causada por temperaturas muito elevadas durante a eclosão, pois isso aumenta a perda de calor por evaporação nas aves. Uma janela de nascimento estreita, em combinação com controles corretos e otimização do momento da retirada, limita as chances de pernas desidratadas.

Uma perna bem hidratada parece suave e macia

Uma perna desidratada parece mais escamosa e endurecida

Coloração de perna

A cor das pernas também vai ajudar a avaliar a qualidade dos pintinhos. Se as pernas parecerem avermelhadas, isto pode indicar um período recente de estresse por calor. Se as pernas tiverem aparência azulada, isto sugere uma possível falta recente de oxigênio. No entanto, em algumas linhas genéticas, pernas azuis são normais.

Pernas abertas

Quando os pintinhos eclodirem em uma superfície muito lisa, será difícil para eles conseguirem manter uma boa postura, o que pode afetar a integridade do esqueleto. Nas bandejas de eclosão, evite o uso de papel muito liso para os pintinhos poderem se sustentar, e evite também o uso de esteiras de transporte muito escorregadias. Pintinhos fracos têm mais problemas de postura, uma vez que não têm força suficiente nas pernas.

Um pinto com as pernas abertas

Teste de força nas pernas

A força das pernas dos pintinhos pode ser testada. Ao empurrar o pintinho, ou ao deitá-lo de costas, deve-se sentir resistência ou reação e o esforço necessário para recuperar a postura. Quando deitado de costas, o pintinho deve retornar à posição vertical dentro de três segundos.

Resumo

Neste artigo, discutimos as causas mais comuns que influenciam a qualidade do bico e das pernas dos pintinhos. Bons bicos e pernas saudáveis são importantes para o desempenho pós-eclosão, já que permitem que os pintinhos se movimentem e mostrem um comportamento natural na granja. Deve-se ressaltar que, neste artigo, sugerimos apenas as causas mais comuns de cada problema. Além disto, pode ocorrer que um fator seja responsável por vários problemas diferentes. A qualidade do pintinho ideal e uniforme é, afinal, afetada por inúmeros fatores que já foram discutidos no primeiro artigo e é fundamental sempre lembrar disto ao analisar os resultados.