Escolha seu idioma

Como carregar corretamente ovos em suas incubadoras para obter um equilíbrio térmico ideal? (2)

Essa série de 3 artigos mostra a melhor forma de combinar ovos de lotes diferentes na incubadora. Agora que você já conhece os princípios básicos da troca e produção de calor (como visto no primeiro artigo da série), vamos explicar como carregar a incubadora de forma correta.

Por Eduardo Romanini, Especialista de Desenvolvimento de Incubação, Petersime

Parte 2: Posicionando os ovos na incubadora

Nesse momento, você deve estar se perguntando como deveria posicionar os ovos para conseguir a distribuição de temperatura mais uniforme na incubadora. O segredo aqui é aplicar aquilo que aprendemos sobre troca de calor na incubadora e sobre a produção de calor nos ovos incubados.

Veja a incubadora como uma simetria espelhada

Vamos usar uma incubadora BioStreamer™ padrão Petersime, com 12 carrinhos, como exemplo. Os carrinhos estão distribuídos igualmente em ambos os lados do ventilador central de mistura de ar: 6 carrinhos em cada lado, sendo 3 na frente e 3 atrás.

Uma incubadora BioStreamer™, com 12 carrinhos

Primeiramente, você deve saber que o fluxo de ar é o mesmo nos lados esquerdo e direito do ventilador central de mistura. Isso significa que a refrigeração, o aquecimento e a ventilação, na incubadora, são espelhados. Cada condição que ocorrer no lado esquerdo, ocorrerá de modo espelhado e idêntico no lado direito. Pelo menos, é assim que deve ser.

Os ovos posicionados em uma determinada posição no lado esquerdo, passarão pelas mesmas condições que os ovos posicionados de modo espelhado, no lado direito da incubadora. Mas isso só é possível se eles tiverem as mesmas características e se estiverem igualmente distribuídos. Se estiver faltando ovos ou faltando um carrinho de um lado, isso prejudicará o padrão do fluxo de ar e causará efeitos adversos. Por isso, é fundamental equilibrar os ovos de forma correta, entre os lados esquerdo e direito.

Todos sabemos que, devido à grande capacidade das incubadoras, é difícil ter os mesmos ovos em todos os 12 carrinhos. Não temos dúvida quanto a isso. Mas vamos supor que, para o sucesso de nossos resultados de incubação, sempre temos, pelo menos, dois carrinhos com ovos com as mesmas características (idade do lote, armazenagem dos ovos, fertilidade, etc.). Ao distribuí-los em uma posição espelhada, os lados esquerdo e direito estarão em equilíbrio, assim como a produção e a dissipação de calor.

Preste atenção aos ovos de controle

De qualquer forma, é importante lembrar que os três dispositivos OvoScan™ estão sempre instalados em uma posição fixa: no carrinho de incubação mais próximo à parede esquerda da incubadora. Os ovos ao redor dos sensores OvoScan™ são responsáveis por fornecer informações contínuas ao controlador da máquina. Isso significa que as medições de temperatura desses ovos de amostra serão utilizadas para ajustar, de forma automática, a temperatura do ar dentro da incubadora para todos os ovos e durante todo o tempo de incubação.

É por isso que uma seleção cuidadosa desses ovos é essencial. Eles são uma boa representação da população? Eles são uniformes quanto a tamanho e cor? Ter os ovos certos como amostra para o monitoramento da temperatura de sua casca é fundamental para o processo.

A melhor alternativa é colocar ovos com produção de calor média nos carrinhos com o OvoScan™, ou, em outras palavras, um grupo de ovos com “massa viva” intermediária em comparação ao restante dos ovos incubados. Poderiam ser ovos com fertilidade média, de um lote de meia-idade e/ou com um tempo médio de armazenamento.

Lembre-se do efeito do fluxo de ar em espiral

Agora sabemos que os ovos com produção de calor média devem ficar nos carrinhos próximos da parede. E quanto aos carrinhos posicionados centralmente, nos dois lados da incubadora?

Pense sobre o efeito da distribuição do fluxo de ar em espiral: os ovos nos carrinhos do meio são atingidos por uma velocidade de ar relativamente menor e com convecção ligeiramente menos eficiente. Na verdade, nessa posição, é mais difícil a transferência de calor para dentro ou para fora dos ovos. Percebe aonde vamos chegar com isso?

Distribuição do fluxo de ar em espiral em uma incubadora Petersime

Correto. Os carrinhos centrais de cada lado da incubadora são as melhores posições para os ovos com uma menor "massa viva" e, portanto, uma menor produção de calor. Por exemplo: os ovos com menor fertilidade, os lotes mais jovens (ovos menores) e/ou os ovos com um tempo de armazenamento mais prolongado. A posição central entre os carrinhos permite que esses ovos recebam um aquecimento adicional indireto, vindo dos ovos colocados ao redor.

Aqui, fica claro que os ovos com produção de calor potencialmente mais alta (maior “massa viva”) devem ficar nos carrinhos mais próximos do ventilador de mistura central da incubadora. Os ovos nesses carrinhos são atingidos por uma velocidade de ar ligeiramente maior, o que facilita a transferência de calor. É a posição perfeita para os grupos de ovos com as maiores taxas de fertilidade (ou eclodibilidade esperada), lotes mais velhos (ovos maiores) e/ou ovos que foram armazenados por menor período de tempo.

Ao seguir essas orientações, certamente será obtido o melhor equilíbrio de distribuição de calor possível aos ovos na máquina. Ou, caso queira um resultado ainda melhor, carregue a máquina com o máximo de ovos homogêneos possível em todos os carrinhos.

Padrão de carregamento correto para incubadoras de acordo com as diferenças na produção de calor do ovo

Mas e se você fizer diferente?

E se você colocar os ovos com produção de calor relativamente mais alta ou mais baixa nos carrinhos OvoScan™ próximos à parede?

Eis o que acontece: o OvoScan™ utiliza esses ovos como referência da incubadora toda. Dependendo da “massa viva”, a incubadora aquecerá ou resfriará o ar até ajustar as temperaturas medidas da casca do ovo próximo aos sensores OvoScan™. Como resultado, os ovos nos outros carrinhos também serão afetados.

Padrão de carga incorreto: ovos com maior produção de calor nos carrinhos do OvoScan™
 

Padrão de carga incorreto: ovos com menor produção de calor nos carrinhos do OvoScan™

Infelizmente, nesse caso, uma temperatura reduzida retardará o desenvolvimento do embrião desses ovos, aumentando o tempo de incubação. Ou, na situação oposta, alguns ovos tendem a ficar superaquecidos, acelerando o desenvolvimento e a eclosão do embrião.

Basicamente, qualquer outra configuração de padrão de carregamento que não siga a combinação ideal entre a produção de calor de ovos e o microambiente na incubadora vai gerar uma janela de eclosão mais ampla, com eclosões precoces e tardias dentro da mesma máquina. Assim, a uniformidade do pintinho se torna um grande problema.

Agora é com você

As diretrizes acima são uma boa maneira de começar a carregar ovos de diferentes lotes em incubadoras de grande capacidade. Ao respeitarmos o equilíbrio térmico entre os lados esquerdo e direito, a produção de calor do ovo e a ventilação da incubadora, criamos uma distribuição de calor mais homogênea na máquina.

Ainda não tem certeza de como fazer isso? Para obter assistência diária na aplicação do procedimento de carregamento correto para cada lote individual e para diferentes tamanhos e configurações de incubadoras, a Petersime oferece o Gerador de Padrão de Carregamento (Loading Pattern Generator). Essa ferramenta faz parte do software Operational Excellence™, disponível para os membros do Operational Excellence™ Programme, e fornece a você o que há de melhor em posicionamento de ovos para um carregamento com equilíbrio térmico otimizado.

Agora, a pergunta é: qual é o melhor padrão de transferência e carregamento para seus nascedouros? Essa é outra história, que contaremos no próximo artigo dessa série!