Escolha seu idioma

Contenção de pintinhos: 4 princípios importantes

Após o saque no dia da eclosão, os pintos de um dia são armazenados por um certo período antes de serem levados até a granja. O tempo de armazenamento pode variar consideravelmente, desde apenas algumas horas até um pernoite inteiro. Um sólido entendimento dos princípios envolvidos no armazenamento de pintos é vital para preservar o desempenho e a qualidade, e garantir o bem-estar das aves. Este artigo explica esses princípios e destaca boas condições de contenção de pintinhos.

Por Jason Cormick, Especialista em Incubação

1. A retirada lógica dos carrinhos do nascedouro evita superaquecimento

O próprio nascedouro é um ótimo ambiente de contenção para pintinhos, já que foi projetado para manter um ambiente rigidamente controlado e estável com bastante refrigeração e um fluxo de ar forçado. Mas, obviamente, os pintinhos não podem permanecer no nascedouro indefinidamente, já que precisam ser separados das cascas de ovos e dos ovos não eclodidos.

No momento da retirada dos carrinhos do nascedouro, o fluxo de ar ao redor dos pintinhos de um dia será reduzido ao fluxo de ar presente na área para a qual eles forem levados. Portanto, é essencial evitar retirar todos os carrinhos da máquina de uma vez, porque isso pode levar ao superaquecimento dos pintinhos, e consequentemente à desidratação. Ao retirar os carrinhos do nascedouro, a melhor coisa a se fazer é retirá-los em uma ordem tal, em que o último carrinho na máquina seja sempre o mais próximo do sensor de temperatura, para evitar o superaquecimento das bandejas restantes.

2. Manter uma temperatura ambiente adequada é vital

Após a separação das cascas de ovos e do processamento adicional, será necessário armazenar os pintinhos de um dia na sala de armazenamento de pintos por um certo período.

Pintinhos não são capazes de regular a temperatura corporal nas primeiras semanas de vida. Eles dependem da temperatura ambiente para permanecer com a saúde ideal.

Durante o armazenamento, a temperatura interna das aves deve permanecer entre 39,5 e 40 C (103 e 104 F). Quando a ave está nessa temperatura, ela respira pelas narinas, o que limita a perda de umidade a cerca de 2 gramas a cada 24 horas. A essa taxa, as aves podem ser mantidas confortavelmente por longos períodos de tempo.

(A) Pintos respirando pelas narinas perdem cerca de 2 gramas a cada 24 horas
(B) Pintos arfando pelo bico podem perder 10 gramas de umidade em 24 horas

A temperatura ideal da sala de armazenamento de pintos varia, dependendo da velocidade do ar. De modo geral, uma temperatura entre 24 e 26 C (75 e 79 F), com fluxo de ar constante e rico em oxigênio, resulta em pintinhos confortáveis. Temperaturas mais baixas exigem velocidades do ar mais baixas, e vice-versa.

Comportamento como indicador

As temperaturas dos exaustores fornecem uma leitura muito precisa da temperatura de uma ave, mas são invasivas, demoradas e informam apenas as condições na área monitorada no momento da medição (as condições podem se alterar rapidamente). Portanto, o comportamento das aves é um indicador muito melhor e proativo dos seus níveis de conforto.

Até hoje, a observação de Romijn Lokhorst, mostrada na tabela abaixo, é, de longe, a maneira mais fácil, rápida e eficaz de determinar o conforto dos pintos. Membros do nosso Operational Excellence Programme™ podem ler mais sobre comportamento e conforto dos pintos em nosso site de atendimento dedicado.

Observação de Romijn Lokhorst sobre comportamento dos pintos

Dica rápida

Não coloque caixas de pintinhos diretamente no chão, para evitar a influência da temperatura do piso (e para garantir que as caixas não fiquem molhadas). Se os carrinhos acabarem e não for possível evitar colocar caixas diretamente no chão, coloque uma caixa vazia por baixo. Também é aconselhável puxar as caixas, ao invés de empurrá-las, para evitar um possível tombamento da pilha.

3. Outros dois fatores críticos a serem controlados: fluxo de ar e oxigênio

É crucial que o ar que entra na sala de espera de pintinhos passe pelas aves, sem se desviar das caixas. Uma regra de ouro geral: o espaçamento deve ser equivalente a uma caixa vazia no lado mais longo das caixas de pintinhos, para permitir um fluxo de ar suficiente (isso pode ser reduzido com velocidades do ar mais altas). Além disso, evite turbulência demais dentro da sala, pois isso criará uma nuvem de penugem no ar.

Outro fator crucial no armazenamento, além do fluxo de ar, é o oxigênio. É necessário haver oxigênio suficiente na sala com uma troca de ar fresco constante. Os níveis nunca devem ficar abaixo de 20%. Não é aconselhável reciclar o ar em salas de pintinhos, pois os filtros ficam bloqueados rapidamente. Durante a troca, é inevitável que um pouco de penugem acabe entrando nos dutos, tornando extremamente difícil limpar o sistema. Sensores de dióxido de carbono são úteis para tornar o sistema à prova de falhas. No entanto, as aves geralmente começam a superaquecer muito antes de ficarem sem oxigênio.

Deixe espaço para o fluxo de ar

4. O que saber sobre iluminação e alimentação?

Pintos de um dia são naturalmente muito curiosos. Eles querem investigar seus arredores, e luzes brilhantes ativam esse comportamento. Luz azul-escura em nível baixo tem influência calmante, fazendo com que as aves durmam e economizem uma preciosa energia. Quando estão dormindo, as aves ficam mais agachadas nas caixas, garantindo um maior fluxo de ar através delas. Ao mesmo tempo, os funcionários conseguem enxergar o suficiente para circular com segurança.

Se for necessário manter as aves em espera por longos períodos, é possível oferecer um suplemento alimentar a elas, mas deve-se levar em consideração que, se alimentadas, elas precisarão de iluminação forte, o que as ativará. Depois de comer, seu metabolismo aumentará, gerando o dobro de calor do que quando estão dormindo.

Em suma:

A temperatura do ar, da caixa, o fluxo de ar e o oxigênio desempenham um importante papel na manutenção do ambiente de pintinhos de um dia nas condições certas. Essas condições merecem atenção, já que são vitais para preservar o desempenho e a qualidade e garantir o bem-estar dos pintos.