Escolha seu idioma

O rendimento do pintinho ainda é uma referência válida?

Muitos incubatórios ainda usam o rendimento do pintinho (peso médio do pintinho dividido pelo peso médio do ovo fresco multiplicado por 100) como referência de boas condições de incubação e qualidade dos pintos e como indicador de alto desempenho pós-eclosão. Na Petersime, as regras de ouro da incubação são continuamente repensadas com as perguntas: "Qual a relevância dessa prática no segmento atualmente? Ainda pode ser considerada uma referência válida e precisa?"

Por Roger Banwell, Especialista em Incubação Sênior

Rendimento-alvo

Todas as espécies de aves perdem aproximadamente 28% do peso inicial do ovo no ponto de eclosão. A indústria avícola selecionou 67-68% de rendimento do pintinho como meta. Esse número foi baseado nas perdas de peso somadas observadas antes do saque do pintinho. O gráfico abaixo mostra o rendimento do pintinho de ovos individuais com o mesmo peso e com o rendimento do pintinho no “ponto de eclosão” (até uma hora após a eclosão, permitindo que a plumagem seque).

Neste exemplo, com saque a 510 horas, janela de nascimento de 24 horas ou menos, bom momento de eclosão e pesos de ovos relativamente uniformes, os dados mostram que o rendimento do pintinho oferece uma indicação de que tudo está ok. Isso é o que seria dito historicamente, levando-se em consideração o "rendimento-alvo" clássico. Obviamente, isso parte do princípio de que a amostra foi colhida de uma distribuição razoável de pintinhos de eclosão precoce, média e tardia. 

Observando melhor o gráfico, é possível ver que uma variação de apenas algumas horas no momento da eclosão e/ou do saque pode gerar um valor significativamente diferente. Além disso, se a janela de nascimento ficar ampla, ou se o conjunto inicial de ovos apresentar uma ampla faixa de pesos, entre outros fatores, a imprecisão se torna potencialmente alta, e o valor final, possivelmente muito enganoso.

Quatro elementos para resultados de teste corretos

Além de possuir boas condições de incubação, o segredo para obter resultados corretos na medição do rendimento do pintinho é garantir uma boa seleção de ovos desde o início e ser consistente na pontualidade ao colher amostras, seguindo as informações abaixo.

É sensato colher mais de um lote como amostra. Recomenda-se um mínimo de 3 lotes. Além disso, observe a janela de nascimento no gráfico do histórico. 

Se qualquer desses elementos desviar demais dessas diretrizes, isso deve ser considerado na avaliação final. Por exemplo, se as amostras foram colhidas 26 horas após o pico, o esperado será um rendimento inferior do pintinho, de cerca de 66%.

O rendimento do pintinho como indicador

Portanto, digamos que tenhamos levado esses elementos em consideração e tenhamos um rendimento-alvo perfeito. Voltando à pergunta inicial: “O rendimento do pintinho é uma referência válida?”Podemos presumir que tudo está ok? A porcentagem perfeita do rendimento do pintinho significa boas condições de incubação, alta qualidade dos pintos e alto desempenho pós-eclosão?

A resposta é que o rendimento do pintinho é apenas um indicador em conjunto com outros fatores. Ele não deve ser considerado uma referência única. Isso também se aplica a muitos outros fatores, como a massa corporal livre da gema do ovo. Isso mostra por que é importante um bom gerenciamento da incubação e da janela de nascimento subsequente. É sempre necessário observar o panorama completo.

Leia mais sobre "repensar as regras de ouro da incubação" aqui.

Aprenda com os melhores especialistas da Petersime no nosso Treinamento em Gerenciamento de Incubatório. Clique aqui para obter mais informações.