Escolha seu idioma

Perfis CO2NTROL™ da linha S atualizados

Durante muitos anos até agora, os sistemas de Embryo-Response Incubation™ da Petersime vêm fornecendo ganhos significativos em eclosão, qualidade dos pintinhos e desempenho pós-nascimento. Um dos fatores fundamentais é o sistema CO2NTROL™, que vem instalado de fábrica em todos os modelos de incubadoras e nascedouros da linha S. Testes de campo e pesquisas recentes levaram ao refinamento dos perfis de incubação da Petersime em relação ao CO2. Estão baseados em dois objetivos: reduzir a mortalidade no início da incubação e melhorar o rendimento dos pintinhos. O rendimento dos pintinhos é representado pelo percentual do peso do pintinho no nascimento em relação ao peso do ovo no momento do início da incubação. 

 Por Roger Banwell, Gerente de Desenvolvimento do Incubatório

1. Ventilação limitada no início do ciclo de incubação

O gráfico abaixo mostra a curva atualizada de CO2.

A curva atualizada de CO2

A principal modificação do perfil anterior pode ser observada durante os primeiros 6 dias de incubação. Enquanto no passado quase não havia nenhuma ventilação no início do ciclo de incubação, agora é aplicado um nível reduzido de ventilação. Isso leva a um acúmulo controlado e ligeiramente menor de CO2 dentro do gabinete da incubadora. O pico de CO2 agora é atingido até o sexto dia, ao invés de até o quarto dia, como no programa anterior.

Extensivas pesquisas indicaram que essa pequena quantidade de ventilação durante o desenvolvimento embrionário apresenta várias vantagens importantes.

  1. Um primeiro fator é um aumento no potencial antimicrobiano da albumina (Fanget al., 2013). Modificações que ocorrem na albumina do ovo durante o início da incubação podem influenciar o crescimento da Salmonella Enteritidis.
  2. Um segundo fator é a viscosidade da albumina (a “espessura” da clara do ovo) e modificações no valor do pH da albumina (nível de acidez) (Benton&Brake, 1996; Benton et al., 2001; Fang et al., 2012; Lapão et al., 1999; Peebles et al., 2000).
  3. Com  ventilação, quaisquer agentes residuais de fumigação na casca do ovo são removidos, evitando sua penetração na casca e prejuízos ao embrião em desenvolvimento.
  4. Uma quantidade reduzida de ventilação no início do ciclo de incubação permite um pequeno aumento na perda de peso. Isso facilita atingir a meta de perda de peso de 10 a 11% até o momento da transferência para o nascedouro (consulte o artigo: Ventilação na incubadora).
  5. Finalmente, a quantidade de condensação dentro do gabinete da incubadora é significativamente diminuída.

 

2. Níveis mais baixos de CO2 antes da transferência

A segunda modificação principal consiste de set points de CO2 mais baixos durante o período que antecede a transferência. Isso permite um aumento de ventilação e, dessa forma, perdas de peso adicionais. Além disso, um aumento no percentual do ar de resfriamento limita o uso da água de refrigeração. Isso reduz o consumo de água refrigerada no incubatório.

Essa maior flexibilidade geral na perda de peso leva a um ótimo rendimento dos pintinhos. O rendimento do pintinho é o percentual do peso do pintinho no momento da eclosão em relação ao peso do ovo no momento de iniciar a incubação. Um bom rendimento de pintinho (entre 67 e 69%) indica tempo e parâmetros de incubação corretos (Aviagen, 2013), e é importante para o desempenho pós-nascimento.

3. Pico variável do set point de CO2

Em terceiro lugar, o perfil atualizado de CO2 tem set points de picos variáveis. Estes dependem da idade do lote de ovos na incubadora. O gráfico abaixo mostra a configuração em etapas do programa sugerido de modificação de pico para cada idade do lote.

Pico variável do set point de CO2

Este set point variável do pico de CO2 permite refinamentos adicionais ao programa baseados na idade do lote e/ou feedback do desempenho pós-nascimento.

Na prática

A configuração padrão está disponível a partir do website de serviços da Petersime juntamente com instruções para download e instalação. Para baixar o arquivo, primeiro faça o  logon no service website e depois clique aqui.

O Departamento de Desenvolvimento de Incubatórios da Petersime empenha-se para garantir que os programas padrão disponíveis para os clientes sejam tão otimizados quanto possível. Entretanto, eles são utilizados em diferentes climas, altitudes, tipos de lotes, tempos de armazenamento, gerenciamento de matrizes, nutrição, etc. Dessa forma, a otimização específica para cada cliente somente pode ser obtida através de uma boa análise de dados e feedback, juntamente com um bom gerenciamento do incubatório.

Referencias:

  • Aviagen, How to measure chick yield
  • Benton CE, Brake J, The effect of broiler breeder flock age and length of egg storage on egg albumen during early incubation. Poultry Science, 1996, 75, 1069-1075.
  • Benton CE, Walsh TJ, Brake J, Effects of presence of a blastoderm on albumen height and pH of broiler hatching eggs. Poultry Science, 2001, 80, 955-957.
  • Fang J, Ma M, Jin Y, Qiu N, Huang Q, Sun S, Geng F, Guo L, Liquefaction of albumen during the early incubational stages of the avian embryo and its impact on the antimicrobial activity of albumen. Journal of Food, Agriculture & Environment, 2012, 10 (1), 423-427.
  • Fang J, Ma M, Jin Y, Qiu N, Ren G, Huang X, Wang C, Changes in the antimicrobial potential of egg albumen during the early stages of incubation and its impact on the growth and virulence response of Salmonella Enteritidis. Italian Journal of Animal Science, 2013, 11-17.
  • Lapão C, Gama LT, ChaveiroSoares M, Effects of broiler breeder age and length of egg storage on albumen characteristics and hatchability. Poultry Science, 1999, 78, 640-645.
  • Peebles ED, Gardner CW, Brake J, Benton CE, Bruzual JJ, Gerard PD, Albumen height and yolk and embryo compositions in broiler hatching eggs during incubation. Poultry Science, 2000, 79, 1373-1377.