Escolha seu idioma

Reduza a janela de nascimento com estas três recomendações

Melhorar a janela de nascimento pode significar maior uniformidade de pintinhos de um dia, maior qualidade e melhor desempenho pós-eclosão. Por esse motivo, reunimos alguns conselhos fundamentais, baseados no estudo do comportamento da ave mãe, que podem ajudar a reduzir a janela de nascimento e melhorar o desempenho de seus pintinhos.

Por Eduardo Romanini, Coordenador de Pesquisa em Incubação

1. Restauração de ovos

Armazenar ovos por mais de sete dias leva a uma redução na eclodibilidade. Na verdade, quanto mais tempo os ovos ficam armazenados, maiores as perdas em eclodibilidade. Os ovos armazenados apresentam maior taxa de mortalidade embrionária entre os dias 1 e 3 da incubação, e precisam de mais horas para a conclusão do tempo do ciclo. Quando isso acontece, alguns dos pintinhos vivos são rejeitados no saque por terem eclodido tarde demais para serem utilizáveis. Ou esses pintinhos que eclodiram tardiamente ainda não estão maduros o suficiente para irem para as granjas, e terão complicações para sobreviver ou crescer de maneira ideal. Quanto mais ampla a janela de nascimento, maior o problema. Mesmo quando os ovos são armazenados por tempo mais curto, eles podem ter sido submetidos a condições diferentes na granja ou serão misturados a ovos de outros lotes para completar e carregar as máquinas. 

Para reduzir a janela de nascimento, os ovos armazenados por longo tempo devem atingir um estágio mais uniforme de desenvolvimento embrionário precoce antes do início da incubação. Quando os ovos são armazenados por curto tempo, também é benéfico restaurá-los. Com isso, sua variabilidade será reduzida. Há um enorme potencial na restauração da eclodibilidade de ovos armazenados, e mesmo na melhoria da uniformidade dos pintinhos de um dia, com tratamento térmico antes da incubação. No entanto, é crucial controlar precisamente os principais parâmetros de incubação. Para obter ganhos consistentes, é necessário medir e controlar com precisão a temperatura da casca do ovo na incubadora, além de controlar e uniformizar as fases de aquecimento e resfriamento dos ovos.

2. Carregamento com equilíbrio térmico

A mistura de lotes é muito comum em incubadoras modernas de larga escala. No entanto, é necessário carregar as máquinas com um padrão que busque o máximo em termos de equilíbrio e uniformidade. Entender a distribuição do fluxo de ar dentro das incubadoras é fundamental para obter maior uniformidade térmica e menor janela de nascimento.

Em suma, as incubadoras devem ser carregadas de acordo com a distribuição do fluxo de ar combinada com a produção de calor metabólico dos embriões. Por exemplo, para uma configuração de máquina com ventilador de mistura e resistências de aquecimento/refrigeração centrais, coloque lotes com maior viabilidade ou ovos maiores (que produzem mais calor) na posição mais próxima do pulsador para melhor dissipação de calor. Carrinhos com ovos de baixa produção de calor (por exemplo, com menor viabilidade) devem ser colocados no centro da incubadora, ao passo que ovos de produção de calor intermediária devem ficar perto das paredes. A consequência de uma máquina termicamente desequilibrada é uma maior variação e janela de nascimento mais ampla.

Preste atenção ao equilíbrio térmico, não apenas durante os primeiros 18 dias de incubação, mas também durante a fase de eclosão. É extremamente importante transferir os carrinhos para o nascedouro levando em consideração a produção de calor metabólico, e alocá-los adequadamente. 

Todas as informações a esse respeito podem ser lidas aqui, na série sobre "carregamento com equilíbrio térmico" em nosso site; ou, se você for membro do Programa Operational Excellence™, assista ao nosso webinar sobre equilíbrio térmico aqui.

3. Interação ativa embrião/ambiente durante a eclosão 

Idealmente, os ovos são transferidos da incubadora para o nascedouro por volta dos 18 dias. Contudo, por algum motivo, pode ser necessário realizar a transferência em outro momento. Por isso, o embrião pode ter passado para um estágio diferente de desenvolvimento e talvez precise das condições certas em torno dos ovos para progredir até a eclosão (Figura). No gráfico a seguir, é possível observar como a temperatura do embrião evolui ao longo dos diversos estágios do processo de incubação: atividade vascular (sangue fluindo na membrana externa) (1), posicionamento (2), bicagem interna (3) e bicagem externa (4):

Por exemplo, dependendo do momento da transferência, é necessário definir outra temperatura do ar no nascedouro. Para iniciar a fase de eclosão nas melhores condições, é igualmente importante identificar os períodos em que o embrião apresenta maior resposta a estímulos ambientais (Figura). A tecnologia Synchro-Hatch™ promove a ativação de estímulos de temperatura e CO₂, detectando o momento biológico correto para fornecer apoio aos embriões nas últimas etapas antes da eclosão. O gráfico simplificado a seguir mostra as principais possibilidades de interação entre ambiente e embrião:

Por exemplo, quando o embrião está em um período de economia de energia, a temperatura do ar deve ser reduzida de maneira adequada. Da mesma forma, os níveis de CO₂ aplicados na magnitude e período corretos não causam danos, mas estimulam o embrião a reagir naturalmente à bicagem interna e externa.

Assista a este vídeo, na área do Programa Operational Excellence™ no site de atendimento da Petersime, que explica passo a passo como adaptar seu programa de incubação.

Com um bom gerenciamento de incubatório e controle sobre os três elementos fundamentais que influenciam o processo de incubação e eclosão, é possível reduzir a janela de nascimento e maximizar seus lucros.

Em suma:

  1. Restauração de ovos durante o armazenamento: faça com que os embriões atinjam um estágio mais uniforme de desenvolvimento antes do início da incubação
  2. Carregamento com equilíbrio térmico: aproveite a vantagem de entender o fluxo de ar nas máquinas e use-o para minimizar as diferenças de produção de calor existentes entre lotes mistos
  3. Interação embrião/ambiente durante a eclosão: monitore o momento biológico correto para fornecer apoio aos embriões com estímulos positivos de temperatura e CO₂ durante a eclosão