Escolha seu idioma

Repense as regras de ouro da incubação

Seus resultados de incubação podem ser afetados por uma falta de precisão nas regras aplicadas. As regras de incubação surgiram a partir da metodologia de carga múltipla e se mantiveram enraizadas em nossos hábitos, mesmo já estando prontas para a atualização na era do estágio único. 

Por muitos anos, as regras de incubação comercial foram baseadas na metodologia de tipo de carga múltipla, com todas as limitações e comprometimentos associados a esse sistema. Embora essas regras sejam essenciais, é hora de revisá-las e refiná-las para que elas se adéquem ao método de incubação de estágio único, o qual é mais preciso e totalmente flexível. Vamos dar uma olhada em algumas das regras atuais.

Algumas regras se aplicam a todas as eclosões, independentemente da metodologia, do tipo de máquina ou da experiência do Gerente de Incubatório, pois se referem aos requisitos básicos dos embriões:

  • Regra 1: Ovos uniformes de alta qualidade apresentam os melhores resultados
  • Regra 2: A biossegurança é de extrema importância
  • Regra 3: Os equipamentos devem ter boa manutenção e ajuste

Outras regras não resistiram ao teste do tempo ou precisam ser ajustadas.

“O CO2 é prejudicial acima de 0,45%”

“O CO2 é prejudicial acima de 0,45%”. Essa é uma afirmação que muitos Gerentes de Incubatório aplicam sem questionar. Essa regra está correta para a fase exotérmica do processo de incubação, mas não para a fase endotérmica. A presença de mais CO2 na fase de desenvolvimento cardiovascular pode melhorar todo o desenvolvimento vascular e cardíaco e afetar o desempenho de pós-eclosão. Portanto, as máquinas modernas de estágio único devem ser herméticas. Isso possibilita acumular valores de CO2 na fase endotérmica. Depois, na fase exotérmica, os perfis de CO2 baixos são fundamentais para a fase de crescimento do embrião.

“Você precisa de 12% de perda de peso para uma boa eclodibilidade.”

Outro exemplo é a regra “a perda de peso de 12% é importante para uma boa eclodibilidade”. Ao analisarmos os resultados de nossos testes, vemos que essa regra não é totalmente correta. Em vez disso, percebemos que a gravidade específica (porosidade e densidade da casca) é fundamental nesse contexto. Ovos com uma gravidade perfeita apresentam os melhores resultados. Essa característica parece ser mais importante do que a perda de peso perfeita.

“Os pintinhos precisam de alimento e água imediatamente após a eclosão.”

O mesmo vale para este último exemplo: “O acesso imediato à comida e à água é importante para o desempenho de pós-eclosão e o bem-estar do pintinho”. Isso também não é correto: é apenas uma questão de tempo. O acesso imediato não é necessário; o importante é haver acesso à comida e à água no momento certo. Vamos nos aprofundar um pouco mais nesse ponto.

Testes extensivos realizados nos últimos 18 meses mostraram claramente que existe um momento ótimo para alimentar os pintinhos. O ponto da questão é: se suas condições de incubação estão abaixo das ideais, isso resultará em uma ampla janela de nascimento. Nessas circunstâncias, é evidente que os pintinhos que recebem água e são alimentados imediatamente terão melhores resultados.

 

Mas o que acontece se não dermos o acesso à comida e à água imediatamente? A partir dessa pergunta, as pessoas tendem a pensar em consequências desastrosas em termos do bem-estar animal, mas, na verdade, não há motivo para pânico. Somente após mais de 48 horas sem comida e água é que vemos um efeito negativo no desempenho dos pintinhos e, mesmo depois de mais de 72 horas, ainda não vemos nenhum efeito significativo sobre a mortalidade. É claro que não temos que esperar tanto tempo, mas isso prova que os pintinhos não precisam de água e comida imediatamente após a eclosão.

Usando a natureza como referência

O que aprendemos com isso tudo é que a inspiração para as regras de ouro está bem diante de nós: a natureza. A Petersime usa a natureza como referência para a otimização de desempenho e o desenvolvimento de produtos, repensando as regras sempre que passamos a compreender melhor a ave mãe. A equipe de pesquisa e desenvolvimento concentra-se principalmente no desempenho máximo de eclosão e de pós-eclosão, tratando o bem-estar das aves como um critério igualmente importante. Isso levou à criação de várias soluções que imitam a natureza, desde o armazenamento até a pós-eclosão. Resumindo, nós podemos ser a “mãe perfeita” graças à incubação de estágio único das tecnologias Embryo-Response Incubation. Isso nos leva a nosso objetivo final: lucro máximo por toda a vida, de mãos dadas com a natureza.

A inspiração para nossas soluções está bem à nossa frente: a natureza.